o júri

 
 
 

<< Compositor | Arquivo >>

Borbála Szirányi licenciou-se, em 1997, em Educação Musical e Direção Coral na Liszt Academy of Music, tendo participado no mestrado em Direção do Prof. Peter Erdei, em Oxford.  

Entre 1996 e 2015, trabalhou como professora de música e maestrina do coro infantil da Escola de Música da Hungarian State Opera House.

Em 1999, ministrou aulas demonstrativas no Instituto Kodály.

Desde 2000 tem ensinado, como professoara convidada, no Conservatório Central de Música de Pequim, onde o programa Kodály se iniciou sob sua direção. Os coros feminino e misto do Conservatório, fundados com a sua orientação, realizaram diversos concertos, com programas de música chinesa e europeia, trabalharam com o maestro chinês Muhai Tang e lançaram um CD.

Em 2000, foi professora convidada no programa Kodály na Holy Names College em Oakland, California.

Dirigiu cursos Kodály em Shanghai (2001), Cantão, (2005, 2006), Dublin (2013, 2014), Singapura (2013, 2014), País de Gales (2015, 2016), Bucareste (2016), Buenos Aires (2017) e Telford (2017).

Em 2010, dirigiu um workshop coral para o Hong Kong Treble Choir e em 2016 lecionou na 37ª Escola Internacional de Verão em Direção Coral, em Limerick.

É, desde 2010, professora do Instituto Kodály da Academia de Música Liszt Ferenc. Ministra regularmente cursos de pós-graduação para professores de música da Hungria. Desde 2014, ensina no Kós Károly Általános Iskola, parte do projeto Mintaiskola, da Academia de Música de Liszt. Neste projeto, experimenta e desenvolve, juntamente com os seus colegas, novas metodologias de técnica musical, baseadas no conceito Kodály, com o objetivo de atualizar e renovar a pedgogia musical húngara, tornando-a mais adaptada às salas de aula do século XXI.

 

Gonçalo Lourenço nasceu em Lisboa em 1979. Bacharel em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, em 2005, onde trabalhou com o Professor Christopher Bochmann. Mestre em Direção Coral pelo College Conservatory of Music, em Cincinnatti nos EUA, em 2011, onde trabalhou com os Professores Brad Scott, Elmer Thomas e Earl Rivers.

Doutorado, em Direção Coral na Universidade de Indiana, em 2016, onde trabalhou com os professores Robert Porco, Carmen Téllez, Willliam Gray e Sven-David Sandstrom.

Na Universidade de Cincinnati, trabalhou, enquanto” Minor de Direcção de Orquestra”, com o Maestro Mark Gibson, tendo dirigido a 4ª Sinfonia de Tchaikovsky e o Concerto para Piano No.23 de Mozart. Neste momento, na Universidade de Indiana, trabalha com os Maestros David Effron e Arthur Fagen, tendo dirigido a 1ª Sinfonia de Beethoven, 2ª Sinfonia de Sibelius, a 4ª de Schumann e o concerto para Violino No.5 de Mozart.

Estreou peças no estrangeiro, mais especificamente na Islândia, a peça “Ça Va”, tocada pela Orquestra dos Jovens Músicos da Islândia, dirigida pelo maestro Gunnsteinn Olafsson, encomendada pelo próprio; pelo maestro J. D. Goddard e o Mastersinger Choir of Ohio, pelos “4 Motetos de Natal”. “Alma Mater”, para Flauta, Violino, Violoncelo e Piano, foi tocado pelos L’Ensemble Portique, também nos USA e pela Cincinnati Camerata onde estreou a sua peça” Hodie Christus Natus Est”, para Coro, Quinteto de Metais e Percussão, dirigida pelo maestro Chris Miller. Em 2011 o Maestro Daniel Paulson, estreou em Sacramento, USA, a peça “Desabafo”, para Coro e quarteto de Guitarras. Foi representante europeu no evento “I’m Pulse”, nas Filipinas, onde a sua peça “Ícore” foi tocada em Manilla. A Oratória “From the Ashes” ” para orquestra, coro, solistas e declamador foi estreada em Bloomington, no âmbito da sua dissertação de doutoramento na Universidade de Indiana. Em Portugal a sua música é efectuada por diversos coros de renome como o Coro Ricercare, Coro Odyssea e Coro Anonymus.

Enquanto Diretor Artístico teve oportunidade de dirigir o Coro Cincinnati Camerata, NOTUS e VocalEssence nos Estados Unidos. Foi Professor de Coro no Conservatório da Covilhã e fundador do Coro Odyssea e nessas funções estreou mais de 30 peças corais por compositores como Christopher Bochmann, Dennis Bathory-Kitsz, Marcus Tristan, Fernando Lapa, Sérgio Peixoto, Bem Ofer Amots, Domenico Ricci, Jiyoung Kim, entre outros.

Tem sido chamado como assistente do Coro Aguava, dirigido pela Maestrina Carmen Téllez, onde preparou o Coro e a Orquestra para as “Seven Last Words” de James McMillan. Fundou, em 2012, o Ensemble Instrumental Barroco “Exordium”, com o qual teve a oportunidade de dirigir obras como o Concerto Brandeburgo No.5 e o Concerto para dois Violinos de Bach.

Neste momento é o mentor do Estúdio de Direcção Coral, Studio Conducere e Professor de Coro na ESART.

 

Vasco Negreiros nasceu em Portugal, tendo emigrado para o Brasil aos dez anos de idade, onde iniciou ao piano os seus estudos de música. Mais tarde, estudou Viola d’Arco e Canto, tendo-se especializado inicialmente em Direcção Coral.

Na Alemanha, concluiu o curso de Direcção na Musikhochschule Karlsruhe, seguindo Pós-Graduação, também em Direcção, na Musikhochschule de Mannheim-Heidelberg. Concluiu em 2005 Doutoramento sobre o Livro de varios motetes de Frei Manuel Cardoso, sob orientação de Owen Rees (Oxford), do qual resultou a edição facsimilada do Livro de varios motetes, de Frei Manuel Cardoso, pela Casa da Moeda – Imprensa Nacional de Portugal. 

Como maestro, dirige regularmente o Vocal Ensemble, colaborando como convidado com diversas orquestras, no país e no estrangeiro, principalmente em programas de Música Antiga ou nas interpretações das suas próprias composições, tendo inciado a sua carreira discográfica em 1989, com o CD «Brasil Barroco», que incluía música colonial em primeira audição contemporânea. Desde 1998 é professor no Curso Internacional de Música Antiqua de Daroca (Espanha), oferecendo pontualmente ainda diversos outros Master Classes e palestras.

Publicou um CD triplo com a íntegra do ‘Livro de vários motetes’ de Frei Manuel Cardoso, pela editora Althum, assim como o resultado da sua investigação sobre Jerónimo Francisco de Lima: ‘Rabbia, Furor, Dispetto’, pelo selo discográfico Paraty, de Paris, muito elogiado pela crítica internacional.

Nos últimos anos, para além da actividade artística como maestro, vem-se dedicando também à composição, prioritariamente para crianças. Para além do repertório infantil, tem escrito principalmente para agrupamentos de câmara, tendo as suas obras com harpa publicadas pela editora parisiense Harposphère, enquanto a sua restante produção é representada fundamentalmente pela AvA Musical-editions.

Actualmente debruça-se, entre outros assuntos, sobre o estudo da música do subcontinente indiano.